OS AUTORES

Conheça suas obras na seção de livros ou na loja virtual.

MOACIR AMÂNCIO

Poesia

Moacir Amâncio é professor titular de língua e literatura hebraica da Universidade de São Paulo. Possui graduação em Comunicação Social pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (1975) e doutorado em Língua Hebraica, Literatura e Cultura Judaica pela Universidade de São Paulo (2001).
Autor dos seguintes livros, entre outros: “Os bons samaritanos e outros filhos de Israel” (crônicas e artigos sobre a vida israelense), “Dois palhaços e uma alcachofra” (estudo sobre a expressão judaica contemporânea centrada no escritor israelense Yoram Kaniuk e seu romance “Adam filho de cão”, “O Talmud” (tradução de trechos e estudos), “Hineni, ato de presença” (organizador, coletânea de ensaios em homenagem à prof. Rifka Berezin), “Do objeto útil” (poemas, Prêmio Jabuti 1993), “Figuras na sala” (poemas), “O olho do canário” (poemas), “Colores siguientes” (poemas), “Kelipat Batsal” (poemas), “Contar a romã” (poemas), “Óbvio” (poemas), “Ata”, reunião de livros de poemas anteriores e inéditos, “Matula” etc. Também traduz prosa e poesia do hebraico e outros idiomas: “Sumri”, Amós Oz, “Badenheim”, Aharon Appelfeld, “Carta a Fernando Pessoa”, Ronny Someck, “Terra e Paz”, Yehuda Amichai” etc. Organizou, juntamente com a profa. Berta Waldman, número da revista Noah dedicado à literatura judaica no Brasil – a revista é editada pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Atuou em diversas publicações: desde a revista Shalom nos anos 70 até a revista Visão, Gazeta Mercantil, O Globo (sucursal), Diário Commercio e Indústria, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo como repórter, redator e editor. Participou da fundação de Versus, nos anos 70. Foi repórter do Estado em Jerusalém. Nesse mesmo jornal foi editor de livros. Colabora com outras publicações, impressas e virtuais.
Seu livro mais recente, "Matula", é um longo poema sobre a saga dos cristãos novos, da Iberia ao Brasil, desde a conquista aos nossos dias.

RODRIGO BRAVO

Tradução

Rodrigo Bravo é Doutorando em Tradutologia, Mestre em Linguística e Bacharel em Letras Clássicas pela USP. É autor de livros e ensaios na área de tradução e crítica literária, cocriador e editor da revista eletrônica de poesia brasileira contemporânea traduzida para o inglês Saccades/Sacadas (desde 2018), professor do curso de pós-graduação em Música Popular – Rock da Faculdade Santa Marcelina. Pesquisa atualmente a recriação do pensamento mítico da Grécia Arcaica na época moderna, por meio da tradução dos Hinos Homéricos para a língua portuguesa. Traduziu a obra completa do poeta grego Rufino, publicada na antologia Um Livro para Rufino (2018) e as obras The Waste Land, de T.S. Elliot, e Hamlet de William Shakespeare para a língua portuguesa. Autor dos livros de poesia Poligonia do Haikai (2017), Teso (2018) e Mavórcio Libreto (2018). Dramaturgo e diretor de teatro, é membro fundador da Cia. de Teatro Vento Áureo. Coordenador e membro do conselho editorial do selo de tradução literária Pythia,  na Mocho Edições.

SEAN NEGUS

Poesia

Sean Negus é poeta, tradutor, artista visual, acadêmico e professor universitário na Bay Area de São Francisco, California. Possui Mestrado em Escrita Criativa e Língua Inglesa e bacharelado em Estudos Culturais Americanos. Seus interesses acadêmicos e criativos enfatizam a interdisciplinaridade entre Humanidades e Ciências Sociais. Traduz poesia do português e edita uma publicação mensal, Saccades, dedicada à poesia brasileira e americana. Em 2018, coeditou uma edição da revista DUSIE sobre tema similar contemplando mais de 50 poetas brasileiros contemporâneos e artistas visuais em que contribuiu com traduções literárias. “Hurricane Music”, sua primeira coleção de poemas, foi publicada no Brasil em agosto de 2019, pela editora Córrego e sai agora no formato digital pela Mocho Edições.

IKARO MAXX

Poesia

Arqueólogo dos mistérios, traficante de paixões instantâneas, poeta-xamã, zombador de totens, patriarcas & tiranos, IkaRo MaxX naufraga na poesia. Experimentador transversal & acrobático de linguagens, anseia difundir & inocular pelos poros da realidade o vírus da transgressão & refundar subjetividades poéticas radicalizadas na vontade de pulverizar as formas de controle & repressão & expandir o élan vital do êxtase & da insubmissão absoluta. (Foto de Axell Furtado).

RAVENNA VEIGA

Contos performáticos

Performer e escritora, Ravenna Veiga investiga poéticas do feminino nas mitologias. Cursou Artes do Corpo na PUC-SP. Teve o projeto O Silêncio de Cassandra contemplado em primeiro lugar pelo PROAC, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
Em 2020, foi selecionada pelo edital Arte Como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência, do Itaú Cultural. Tem contos publicados nas revistas Ruído Manifesto (2019), Pixé (2020) e na newsletter Faísca (2020). É artista residente do Centro de Referência da Dança de São Paulo.

LAYLA LOLI

Poesia

Layla Loli (1998) é poeta e dramaturga, multiartista cênica e visual. Esconde-se em São Paulo, cidade onde também se empresta às artes do corpo, à luta antifascista e ao axé. Estudou História da Arte na UNIFESP, Cenografia, Figurino e Dramaturgia na Escola de Teatro São Paulo. Hoje dedica-se à territorialização clandestina da arte latina, feminista e independente, num eterno processo experimental de desobediência urbana, palavras de desordem e transvio do feminino erótico e político.

Autora da obra

A história do gozo e outros canibalismos lançada em 2019. 

https://www.instagram.com/ilolalyal

https://www.facebook.com/ilolalyall

https://ilolalyal.wixsite.com/poesia

SABINE MENDES MOURA

Romance

Sabine escreve e, com isso, vai fazendo teatro, cinema e literatura. Desde que começou a namorar a ficção científica, já participou de duas coletâneas – Solarium (Multifoco, 2009) e Casa Fantástica (Presságio, 2019). Foi selecionada para a Coleção Contos de Bolso (Lendari BR) e publicou o romance Incompletos (Presságio, 2017). Também escreve para jovens adultos – Não tô podendo (Amazon, 2019) – e curte prosa poética – Gorda (Amazon, 2018) e O Piano (Novas Contistas da Literatura Brasileira, Editora Zouk, 2018). Daí, surge sua dramaturgia, encenada pelo pessoal do Laboratório de Artes Cênicas da PUC-Rio ou feita cinema pela Novas Produções. Atualmente, dirige a Editora Nua, no Rio de Janeiro. Pervertidos é seu primeiro romance experimental.

FERNANDA GAMA

Teatro jovem

Fernanda Gama (1983) é formada em Artes Cênicas pela ECA/USP. Tem uma família cheia de mulheres maravilhosas, gosta de livros desde que se entende por gente, teve uma adolescência para lá de chata e faz teatro para crianças e jovens com a Cia do Fubá desde 2011. São de sua autoria as peças A Menina Lia, Poetinha Camará (em coautoria com Bruno Gavranic) e Space Invaders.
Foto de Vitor Vieira.

TW JONAS

Poesia e Fotolivro

TW Jonas nasceu em Salvador em 1977 e, desde 2008, vive e trabalha em São Paulo. É químico de formação, editor e fotógrafo. Começou a fotografar por influência de Elias Santos, artista plástico soteropolitano, cujos nus o arrebataram pela cor, pelo vigor e pela estranheza. Autodidata, fotografa há 20 anos. É coautor do livro de poesias e fotografias A descoberta do segundo sexo, autor do fotolivro Science is sexy e editor da Mocho Edições.

https://www.instagram.com/tw.jonas

CRISTINA PESCUMA

Conto

Cristina Pescuma se formou em história em 1987. A partir desse ano, tornou-se outsider e, desde então, tem realizado pesquisas e estudos em história da arte. Como resultado dessas pesquisas, produziu diversos textos para exposições e textos sobre trabalhos de artistas e sobre temas ligados à arte e à literatura para exposições, usando conceitos do pensamento da diferença. Durante alguns anos, coordenou grupos de estudo e deu oficinas e palestras relacionadas ao universo da arte. Dessas atividades resultou a publicação de dois livros teóricos e outros escritos. Minha vida em branco é seu primeiro livro de contos.

 

Formulário de Inscrição

 Rua Caraíbas, 1206, ap. 34 

Perdizes, São Paulo - SP 

CNPJ: 37.856.400/0001-03

  • Facebook
  • Instagram